No dia 22/08 houve a publicação e o firmamento de um contrato no montante de R$ 36.000,00 (trinta e seis mil reais), e que tem como objeto um lote “VAZIO” ao lado do paço legislativo e no Parque Rio Branco.

Segundo o documento este lote servirá até o final deste ano para estacionar os veículos dos 13 vereadores da casa e somente isso.

Ação absolutamente irregular por julgar incompatível aos valores de mercado pela localidade e principalmente por considerar a ausência de justificativas plausíveis.

Isoladamente e somente esta ação contrariou a regularidade de mudança do órgão para a localidade e que inicialmente tinha um efeito que justificasse a economicidade do aluguel.

Esta denúncia já caminha sob processo investigativo no Ministério Público e pode culminar no pedido de afastamento por improbidade do Presidente

Resta saber se o MP, assim como houve com o nepotismo, também exigirá a devolução dos recursos públicos ao erário.

A sociedade como um todo espera também uma resposta da casa. Ou será que se manterão mudos diante de tal escalabro??

 

 

MídiasSociais

 

Veja a programação 

 

 

    Matrículas Abertas 

 

 

 



Desrespeito com os recursos públicos Publicado em 05 de setembro de 2017

 

Legislativo de Valparaiso promove uma farra com os recursos públicos do município.

Da Esquerda Para Direita - Deputada Leda Borges, Prefeito de Valparaíso Pábio Mossoró e o presidente da camara Alceu do Alternativo.Da Esquerda Para Direita - Deputada Leda Borges, Prefeito de Valparaíso Pábio Mossoró e o presidente da camara Alceu do Alternativo.

Já não soa estranho para a comunidade Valparaisense quando há novas denúncias relacionadas ao descaso com os recursos públicos do município. Desde o início do mandato, estes que se alto denominam “representantes do povo”, são os que mais cumprem as exigências do Ministério Público pelo Cumprimento da Lei e com frequência se metem com estas aberrações administrativas.

A exemplo da recente denúncia do Nepotismo e que culminou num remanejamento de cargos entre secretários e diretores das casas legislativa e executiva da cidade. (Ainda resta saber se os recursos retomaram aos cofres do erário como exigia o MP). Depois disso outras ações foram tomadas de maneira claramente nociva e que trazem grande ônus aos cofres da cidade.

Em contrapartida a sociedade assiste aos desmandos com o dinheiro publico e sofre com a falta de médicos, medicação, ausência de segurança  e até de recursos para pagar os prestadores, estes trabalhadores, na expectativa de serem terceirizados trabalham como voluntários, pasmem, até a regularização de uma empresa que terceirize estes postos de serviços. 

Como se não bastasse além da falta de preparo para gerir a máquina, também é observada de forma publica e notória, uma orquestra, covardemente comandada por Plácido Cunha (secretário de Governo e ex vereador), no ponto de vista anti-político e maquiável com o objetivo de atacar aqueles que se atrevem a se opor aos desmandos com a administração.