Já é de conhecimento publico e está incutida na memória dos goianos que o Vice governador já, deixou registrada sua absoluta ingerência  na pasta de Segurança Pública.

Graças a sua inatividade na Secretaria conseguimos o triste registro, segundo pesquisas do Instituto de Pesquisas Aplicadas IPEA, de figurar entre os  estados mais violentos do país.

Vale ressaltar que neste caos de insegurança e falta de investimentos, o Vice governador também foi vítima quando ainda respondia pela pasta de "Segurança Publica".

O desrespeito com as famílias enlutadas com a ausência de investimentos no IML de Luziânia, além da falta de efetivos nas policias civil e Militar é outro fato relevante durante sua estada na pasta .  

O batalhão da Rotam recentemente inaugurado em Luziânia, na verdade é uma medida paliativa para conter um pouco das ações criminosas da nossa região metropolitana. Trata – se de um engodo, porque não houve nenhum aumento de efetivos na policia Militar exceto a realização do curso de ROTAM feito por militares que já atuavam em nossa região.  

Resta saber se a referida pesquisa também trará para nossa região, resultados semelhantes em consequência do descrédito politico instaurado!!

Utilize aplicativos 
 
Winamp, iTunes   Windows Media Player   Real PlayerReal Player    QuickTime
 
 
 
  

MídiasSociais

 

 

Veja a programação 

 

 

 

    Matrículas Abertas 

 

 

.

 sucessão 2018 - Publicado em 31 de julho de 2017

59% da população rejeita eleger candidatos do PT, PSDB ou PMDB, segundo pesquisa 

Alguns estudos demonstram ainda que 79% dos entrevistados dizem que apreciaria muito se as próximas eleições apresentassem novidades, sobretudo candidaturas de pessoas comuns, à margem da atual cena política brasileira ou seja sem os velhos e conhecidos candidatos 

Os velhos e tradicionais partidos além das carimbadas figuras políticas investigadas e denunciadas em corrupção estão em maus lençóis nas próximas eleições majoritárias. È o que mostra pesquisa realizada pela empresa Ideia Big Data e encomendada pelo grupo ativista independente agora e divulgada pelo jornal O Globo nesta segunda feira dia 31 de julho.

Segundo o levantamento 57% dos eleitores brasileiros não votariam em nomes envolvidos em corrupção mesmo que não tenham sido condenados ou presos e 59% rejeitam a ideia de eleger o próximo presidente a partir de candidaturas do PMDB, PSDB e PT – hoje, os três maiores partidos por representação no Congresso Nacional.

A pesquisa mostrou ainda que 79% dos entrevistados diz que apreciaria muito se nas próximas eleições fossem apresentados novidades, sobretudo candidaturas de pessoas comuns, à margem da atual cena política “outsiders aventureiros”, mas também para uma limpeza e renovação do atual quadro.

O estudo da Ideia Big Data ouviu por telefone 10.063 eleitores dos 37 maiores colégios eleitorais do país, em 37 municípios, sendo 26 capitais, entre os dias 11 e 25 de julho. A margem de erro estimada é de 1,75%

Na contramão desta pesquisa é contraditória a afirmação de uma publicação do jornal  O Globo e assinada pela jornalista Sílvia Amorim também  nesta segunda-feira, 31/07

Segundo a jornalista o governador Marconi Perillo (PSDB), conseguiu estabelecer políticas preventivas que evitaram o desgaste com parte dos efeitos da crise econômica nacional, só esqueceu de mencionar na reportagem que foram com os recursos da malfadada venda ou "doação" da CELG.  (patrimônio que até então era dos goianos).

Na reportagem ainda é citado que, o governador manteve  os salários em dia e uma capacidade mínima de investimento e cravando como sucessor o seu vice José Eliton, que hoje está tocando um grande programa de investimentos nos municípios, provavelmente o maior em “publicidade” em todo o país. (campanha  extemporânea clara e feita com recursos Públicos)